🗞️Reportagens premiadas do jornalismo independente no Nordeste

Nossa curadoria traz reportagens de fôlego, projetos e conteúdos que merecem reconhecimento

Oi, tudo bem? Sempre bom te encontrar por aqui ;) 

Quando começamos a planejar fazer essa curadoria de conteúdos produzidos pelo jornalismo independente nos estados do Nordeste, fomos questionadas sobre se teríamos material suficiente para manter edições quinzenais. Nestes comentários, estava implícito um certo ceticismo sobre a qualidade dos projetos e das mídias independentes nordestinas. "Será que existem tantos assim? Será que produzem bons conteúdos?”

Quase um ano depois da nossa primeira newsletter, e 23 edições, podemos afirmar com convicção que, quanto mais a gente pesquisa esse universo inspirador, inovador e plural do jornalismo independente  nos estados do Nordeste, mais nos convencemos de como ele é rico e imenso - e continua se multiplicando.  

Hoje, decidimos trazer uma seleção de reportagens, podcasts e projetos independentes premiados (e/ou finalistas em prêmios), feitos na região, por nordestinas e nordestinos. É importante dizer que os prêmios nacionais de jornalismo ainda são muito dominados por produções sudestinas. Fincamos nossa bandeira aqui com aquela máxima de que precisamos ir além das premiações regionais/estaduais e descentralizar os incentivos e reconhecimentos ao bom jornalismo em todo território nacional. 

Aliás, teve cajuzinha indicada a prêmio essa semana, viu? A potiguar Mariana Ceci, que trabalha como jornalista em Natal, é uma das finalistas do Troféu Mulher Imprensa, na categoria Jornalista Revelação. Aproveita para votar e ajudar a Cajueira a levar esse prêmio! É só clicar aqui.

A gente recomenda fortemente que você reserve um tempinho pra ler e ouvir as produções que indicaremos. Diante de tantos ataques a jornalistas e à liberdade de imprensa, o prêmio Nobel concedido aos jornalistas independentes Maria Ressa (Filipinas) e Dmitry Andreyevich Muratov (Rússia) afirma a existência do “jornalismo livre, independente e de qualidade como pré-condição para a democracia”, e nós ficamos particularmente orgulhosas em compartilhar aqui trabalhos de grandes jornalistas, comunicadores e comunicadoras nordestinas que denunciam injustiças, desafiam os poderosos e fazem a diferença a partir de suas comunidades.

Sirva-se!

Fé, poder e dinheiro

Começamos com uma reportagem que está na final do Prêmio Roche, referência em Jornalismo de Saúde na América Latina. A série Dependências, da Agência Retruco, investiga clínicas de reabilitação e comunidades terapêuticas, que são casas de assistência para pessoas com dependência da droga. 

As reportagens mostram como funciona a rede de interesses políticos, econômicos e religiosos por trás da oferta de vagas de acolhimento. E como a gente acha massa o trabalho da Agência Retruco, deixamos uma indicação extra de outra série de reportagens que não recebeu prêmio, mas merecia. Efeito Desmonte traz sete reportagens recheadas de dados exclusivos sobre o desmonte das universidades federais em cidades do interior do Nordeste. Vale demais conferir. 


Coberturas com foco socioambiental

A Marco Zero Conteúdo conquistou dois prêmios Cristina Tavares de Jornalismo - um dos mais importantes do Nordeste - no ano passado, com reportagens que denunciam tragédias socioambientais. A cobertura do derramamento de óleo no Nordeste, considerado o maior desastre ambiental no litoral brasileiro, rendeu o 1º lugar na categoria texto. 

As reportagens começaram a ser produzidas desde os primeiros momentos do desastre e contribuíram para mobilizar a opinião pública, considerando que os grandes jornais do Sudeste e os programas de televisão com alcance nacional demoraram para entrar no tema. A Marco Zero continua publicando desdobramentos e cobrando respostas para o desastre, sem explicações até hoje.

O coletivo pernambucano de jornalismo independente também faturou o 1º lugar do prêmio Cristina Tavares na categoria internet com o especial Suape pelo Avesso, que denuncia como a instalação de empresas no Complexo Industrial Portuário de Suape, incluindo a refinaria Abreu e Lima, aprofundou desigualdades na região. 

A reportagem “Povos Originários do Ceará lutam para manter a vida e a tradição”, da Agência Eco Nordeste, venceu no ano passado o Prêmio MPCE de Jornalismo, organizado pelo Ministério Público cearense. O material mostra como a pandemia impactou os povos indígenas no Ceará com dados e entrevistas das comunidades. 


Jornalismo cultural em revista 

A Revestrés é uma das principais revistas em circulação em Teresina (PI). Pelas páginas dela já passaram personalidades como Assis Brasil, Zuenir Ventura e Ziraldo. A publicação cultural venceu o Prêmio Piauí de Reportagem por dois anos seguidos. “A casa é sua”, uma das matérias premiadas, conta a curiosa história de Gorete, uma anfitriã que recebe artistas do centro-sul do país em sua residência.

Não premiada, mas igualmente interessante, é a entrevista que a Revestrés fez com a arqueóloga Niéde Guidon. Jurada de morte no interior do Piauí e incansável defensora do maior parque de pinturas rupestres do mundo, ela falou sobre os "primitivos tempos em que vivemos". 


Reportagens orientadas por dados

A Agência Tatu, que trabalha com jornalismo de dados, já teve várias reportagens premiadas. Da lista, a gente destaca a reportagem Predador em Perigo, que denunciou ameaças aos tubarões, que estavam sendo mutilados no litoral de Alagoas, com visualizações de dados bem legais. 

CASTANHAS 

Já ouviu falar de umbu? E Umbucast? Originária da Caatinga, umbu é uma fruta redondinha, de sabor cítrico e boa demais. Já o Umbucast é um podcast narrativo que conta histórias sobre pessoas do Agreste pernambucano. A produção da Rádio Cordel da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) é feita por estudantes e ganhou o prêmio de melhor roteiro não ficcional e a menção honrosa 1º Prêmio UnbCast de Podcasts Universitários. Nesse episódio, o podcast apresenta Simone e Luiz Benício, um casal de artistas do Vale do Catimbau, em Buíque (PE), que fazem peças em madeira. 

O Instituto Fogo Cruzado, em parceria com a Marco Zero Conteúdo, a Escola de Comunicação da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e a Fundação Friedrich Ebert Brasil (FES) está oferecendo cinco microbolsas de R$ 1,5 mil comunicadores atuantes em Pernambuco desenvolverem produções jornalísticas. Todas as informações e formulário para inscrição estão disponíveis aqui.

Estão abertas as inscrições para o curso on-line "Como fazer um podcast", oferecido pela produtora Malamanhadas e pelo site Coar Notícias, ambos do Piauí. As aulas acontecem nos dias 30 e 31 de outubro. 

Mídia negra nordestina

A gente finaliza essa lista de produções estreladas com o Site Negrê. O portal teve 15 trabalhos homenageados no prêmio Neusa Maria de jornalismo, que valoriza o trabalho de profissionais negros. A lista de reportagens está aqui e tem material de sobra pra você descobrir. A gente destaca o texto “Esperança Garcia, pela liberdade”, sobre a mulher negra escravizada que foi reconhecida como a primeira advogada piauiense. 

Só coisa fina né? Vai timbora ler, prestigiar e, se sentir vontade, conta pra gente lá no Instagram ou no twitter @cajueira_ o que achastes? Lembra de fazer aquele PIX doçura pra gente continuar trazendo cajus e castanhas do Nordeste por aqui e ampliar nossas colheitas, a chave é: cajueira.ne@gmail.com . Outra opção é ser um belo de um apoiador recorrente, com doações mensais, por meio da nossa campanha Plantio: apoia.se/cajueira 

Um cheiro e até a próxima!

Aos nossos colaboradores, aquele beijo mais que doce:

Janes Rocha, Luizy Silva, Lilian Alves, Jéssika Lima Santos, Giulianna Miguel, Tomás Shoji Miyashiro, Luiz Denis Graça Soares, Sérgio Spagnuolo, Vilma Santos, Juliana Moisés Dias Gomes, Jorge Wakabara, Cristiano Ferraz, Luis Felipe Cruz Santos, Livia Lima da Silva, Verônica Soares da Costa, Paulo Veras, Marcilio José de Sousa Costa, Karl Vandesman de Matos Sousa, Carlos Eduardo Falcão Luna, Alice Cristiny Ferreira de Souza, Maia Gonçalves Fortes e Paula Bianchi.