Qual sotaque toca nos teus ouvidos?

Edição n° 04 | Fizemos uma seleção de podcasts nordestinos que você precisa conhecer

Oi, tudo bem? É sempre bom te encontrar por aqui.

Com o bracinho pronto pra vacina, né? Antes disso, vem cá, tu escuta podcast? Quais sotaques chegam nos teus ouvidos? Se apenas o paulista e o carioca, estais sabendo pouco do Brasil. Mas se já consegue diferenciar o falar de um pernambucano e de um baiano, está no caminho certo. 

Nessa quarta edição trazemos alguns dos achados nordestinos na podosfera. Se acostume com nossa sonoridade, independência e potência, escutando podcasts feitos por jornalistas dos estados do Nordeste. Quem sabe assim, de quebra, ainda incentivamos mais produções fora da rota Rio-São Paulo-Sul-Brasília. 

Antes das dicas, alguns dados. Segundo a pesquisa PodBrasil 2020-2021, realizada pela Associação Brasileira de Podcasters (Abpod), 19,1% dos produtores na podosfera são do Nordeste, com mais presença nos estados do Ceará, Pernambuco e Bahia. O Sudeste concentra mais da metade, com 54,2%, onde os paulistas respondem sozinhos por 35,5%.

Nos últimos três anos, os jornalistas entraram com tudo na podosfera. A atividade mais recorrente dos produtores de podcasts, de acordo com a PodBrasil, é a comunicação (13%). O jornalismo representa 7,8%. Profissionais independentes encontraram nas plataformas de áudio um caminho sem volta para informar, para entrar nos debates importantes do país e para desenvolver reportagens de impacto, verdadeiros documentários para ouvir. Então, fones de ouvido preparados?

Sirva-se!

Equipe Cajueira

É trabalheira

Basta produzir o conteúdo, ligar o microfone e mandar para os tocadores, de graça ou pagando quase nada. Aí é só divulgar e, pronto, todos podem ouvir o que tu tens a dizer. Parece fácil, mas quando estamos falando de jornalismo, nada é simples. Envolve esforço de apuração, entrevistas, edição, revisão, checagem, ou seja, uma trabalheira danada. 

"Para fazer um episódio de 30 minutos do Cirandeiras podcast, que traz narrativas aprofundadas de mulheres e suas lutas no Brasil, levamos cerca de 30 horas em todo o processo", calcula Joana Suarez, integrante da Cajueira e produtora. 

Então, não podemos deixar de dizer, em caixa alta: APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE, seja em texto, em áudio ou em vídeo. Muitos podcasters - inclusive nordestinos - têm campanhas de financiamento coletivo no ar para ouvintes colaboradores, pois essa é a principal forma de remuneração dos projetos, segundo a Abpod.

Vamos ao que interessa

No Ceará, você pode ser um #budelover apoiando e ouvindo o podcast Budejo. Direto do sertão do Cariri, um grupo de jornalistas te atualiza, te entretém, te emociona e te envolve com episódios semanais. Eles já têm 73 programas no ar e vivem aparecendo nos destaques de tocadores como o Spotify. Aliás, na nossa primeira newsletter indicamos o episódio #69 com Durval Muniz: A invenção do Nordeste. Gostasse?

Ainda entre os cearenses têm As Cunhãs, que é um podcast de política formado por três mulheres jornalistas: Kamila Fernandes, Hébely Rebouças e Inês Aparecida. De forma bem humorada e divertida, mas sempre muito informativa, elas fazem semanalmente, às terças, um resumo do que está acontecendo de mais importante no meio político. 

Elas decidiram fazer o projeto por considerarem que "a política é um assunto super importante, infelizmente dominado por homens e que, a cada dia que passa, é tratado de modo a desqualificar o debate público"

"É impossível terminar o episódio sem uma informação nova e relevante", garante Nayara Felizardo, nossa cajueira fã dAs Cunhãs. Aliás, 90% dos podcasts que Nayara acompanha fielmente são produzidos por nordestinos. "Ouço as vozes dos apresentadores e me sinto em casa. Me reconheço nas piadas, nas referências, nas gírias, nos hábitos, nos lugares mencionados". Representatividade, né, meu povo ?!


Castanhas

Aproveitando o gancho de Nayara, indicamos aqui mais alguns podcasts não são necessariamente jornalísticos, porém, nordestinos, e que nós, da Cajueira, escutamos e amamos: Indo e Voltando (o mundo segundo cearenses), Chá com Rapadura (cinco mulheres do Ceará para a Inglaterra - sem noção, sem futuro e sem compostura), Os Reis da Cultura Inútil (três reinos fuleragem de três pessoas que tem pouco o que fazer), Mamede Connection (causos de uma rua boêmia e esquerdista de Recife), Os Maiores em Linha Reta (grandes pessoas e histórias da terra do mais altos coqueiros, Pernambuco).  


Para além de Brasília

Por falar em Pernambuco, a folia esfriou em 2021, mas a política e as notícias não param de esquentar, o coletivo pernambucano Marco Zero Conteúdo traz análises necessárias no Arrumadinho podcast sobre fatos regionais e nacionais, pela perspectiva de fora do "centro-sul". A Agência Tambor do Maranhão também tem o TamborCast que não foge dos assuntos políticos e sociais do estado, do Brasil e do Mundo.  

Por trás da Mídia estão jornalistas de Sergipe, que se encontraram nesta ferramenta do áudio para produzir reportagens semanais sobre educação, sexualidade, saúde, racismo. 

Universitários ocupam as ondas sonoras

Se tem uma coisa boa de ouvir são os podcasts feitos por estudantes de jornalismo de universidades nordestinas. A mídia tem se mostrado um ótimo meio experimental para exercer nossa profissão desde cedo, com a voz, a cara e a coragem. Essa nova geração vem com tudo. 

O pessoal do curso de Comunicação Social da Universidade Federal de Pernambuco, campus Agreste, faz de um projeto de extensão um programa bem diferente. A Rádio Novela: Literatura nas Ondas da Rádio adapta obras literárias de autores nordestinos para o antigo formato das radionovelas. Já fizeram com O Auto da Compadecida, Senhora e A Hora da Estrela. É incrível, mostra como o jornalismo pode se reinventar usando de literatura, atualidades, arte e política. 

Alunos de outras áreas também entraram nas ondas sonoras. Pedimos licença mais uma vez pra falar de um podcast de História, que é também um projeto de extensão vinculado à Universidade Federal da Paraíba, o Senta Que Lá Vem História. Falam de temas variados, inclusive os polêmicos como o indesejado reitor escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro.   

Rádios educativas

Dizem que o podcast é o “Netflix da rádio”, com programas que você pode baixar e ouvir a hora que quiser sem ter que acompanhar a programação ao vivo radiofônica. Pois bem, é interessante como emissoras educativas e comunitárias têm incluído seus conteúdos na podosfera, o que faz com que qualquer pessoa possa ouvir, mesmo fora do território da comunidade. Um exemplo é a Multicultura - Educadora FM da Bahia. 

E tem mais um podcast fresquinho, o Papo Cajuína (olha a fruta boa aí) da disciplina de radiojornalismo da Universidade do Piauí. 

Mulheres negras

Agora, Deixe de Pantim que Nunca foi só sobre cabelo, é uma lição que a escritora Carine Fernandes nos dá nesse episódio do podcast independente feito por sertanejas inventivas e desenroladas. "Esse cabelo dá muito trabalho, é melhor alisar". Será? Ouçam. Aproveita e emenda com a escuta de jornalistas negras e nordestinas em Kilombas Podcast

No mais, joga as palavras Nordeste, jornalismo ou os estados nordestinos no buscador dos tocadores que tu vais achar um bocado de coisa massa. Depois vem trocar ideia com a gente aqui ou nas redes sociais da @Cajueira.

Recebeu esse conteúdo de alguém? Assine nossa curadoria quinzenal de conteúdos do jornalismo independente nos estados do Nordeste.

Assine

Confira nossas edições anteriores.

Siga a gente no Twitter e no Instagram.